Poesia

In Poesia

Poesia: deleite-se ou delete-me (03.07.15).

 

Maraãvilhosos,

 

causas perdidas

 

Sempre me identifiquei com as causas perdidas, pois vejo nelas a oportunidade de sermos grandes, de vermos nos outros o que somos!

 

 

Estar ao lado dos vencedores é sempre muito fácil, conveniente e... às vezes, ser-vil!

 

Eu sempre preferi o lado da Justiça! Que inúmeras vezes está ao lado do perdedor! Talvez venha daí meu amor ao Quixote!

 

E este aprendizado eu devo ao um pai analfabeto do interior do Amazonas, mas, que antes de ver alguém, via o ser humano, fundamentalmente aqueles que são invisíveis para muitos, em especial em seus sofrimentos.

 

Por tudo isso, e sem propósito anteriormente imaginado, iniciei um projeto áudio-visual no meu canal no Youtube (“LIVROS QUE LI”), e que ora quero compartilhar com todos, sendo que ele começa, justamente, com Cervantes e seu Quixote!

 

Ficarei feliz se você assistir o que está em: https://www.youtube.com/watch?v=JfVMC3AmnJ8, pois seu conteúdo só tem uma finalidade, compartilhar alegria e experiência e esperança.

 

Abraços,

 

Osório

 

POEMEMOS:

 

A Colega Sandra Akemi Shimada Kishi resolveu, também, semear poesia pelo mundo, e eis que regou minha alma com e na semente que está abaixo. Grato a ela pela beleza e pela originalidade e pelo encantamento do seu presente (o qual aponta para um grande futuro, que certamente, foi plantado no passado).

 

Dra. Sandra é uma perlífera!

 

Eis a joia:

Sandra 1

 

 

Site Parceiro

tercio

Você está aqui: Home Poesias Poesia: deleite-se ou delete-me (03.07.15).